1

Como um rastilho de pólvora

A COVID 19

Espalha-se pelo mundo

E o pânico promove!

Mas tem gente que “faz hora”,

Ironiza, ignora

Esse perigo iminente.

Prevenção é o remédio

Ainda que cause tédio

Ficar em casa é prudente.

2

Mas quando ficar em casa

Não for uma opção?

O jeito é entregar a Deus

E pedir Sua proteção.

Nem preciso repetir

Quais os métodos a seguir

Pois sei que você já sabe...

Que Deus abençoe seu dia

E que essa pandemia

Passe logo! Logo acabe!.

3

Lave as mãos com álcool em gel,

Ou com água e sabão!

Também faça uma limpeza

Na alma e no coração.

E por favor, não esqueça

De limpar bem a cabeça

Filtrando os bons pensamentos

Expurgue do coração

O ódio, a ambição,

Da alma, os ressentimentos.

4

Isole-se para o mundo,

Para o mundo exterior!

Permita-se viajar

No seu mundo interior.

Faça uma reflexão

Sobre a vida, sobre o quão

Importante é amar...

Mantenha a serenidade,

Reflita sobre amizade,

Sobre o que deve importar.

5

Aproveite a quarentena,

Enquanto se higieniza

E veja o tanto de coisa

Que você tem e não precisa.

Desapegue! Desapegue!

O que tá sobrando, pegue

E faça uma doação.

Isso vai lhe fazer bem

Saber que ajudou alguém

Na hora da precisão.

6

Feche as fronteiras físicas,

Abra as imaginárias;

Viaje em um bom livro,

São medidas necessárias

Pra prevenir esse Vírus,

Já que não há antivírus

Com efeito comprovado.

Guarde essas lições de cor

E mundo será melhor

Só por você ter mudado.

7

O Brasil já decretou

Estado de Emergência,

De Calamidade Pública

E apela pra consciência

Coletiva da nação.

Eu vi na televisão

Os Três Poderes, unidos

Diante desse dilema

Na solução do problema

Que fomos acometidos.

8

Temos que deixar de lado

Nossas arestas políticas

Que polarizam o País

Tornando as coisas mais críticas!

Não vamos nos dividir,

Precisamos nos unir,

Usemos a inteligência!

Não ponha lenha no fogo

Aqui o que tá em jogo

É nossa sobrevivência.

9

Não espalhe Fake News,

Isto é muito importante:

Cheque a fonte da notícia

Antes de passá-la adiante.

Evite aglomerações,

Siga as recomendações

Dos órgãos oficiais.

Foi dado o sinal de alerta

Se fizer a coisa certa

Protegerá seus iguais.

10

Tenha consciência cívica

Obedeça o protocolo;

Não jogue no colo alheio

O que não quer no seu colo!

Não lucre com a desgraça,

Pratique os preços da praça,

O PROCON está de olho!

Quem dos preços abusar

Eu acho melhor botar

As suas “barbas de molho”!

11

Bote a máscara da saúde,

Tire a máscara da moral;

Todos nós usamos máscaras

No convívio social!

Mude hábitos e conceitos

E os velhos preconceitos,

Que tal higienizá-los?

Essa crise, na verdade

É uma oportunidade

Pra ressignificá-los.

12

Não brinque com coisa séria,

Humor com isso não faça;

Pessoas estão morrendo

E não tem a menor graça!

E se fosse um dos seus...?

Porém, se acredita em Deus

Reze, faça uma oração

Para o deus da sua crença

Subestimar a doença

É andar na contramão...

13

Na contramão do bom senso,

Do espírito republicano;

Do que diz a OMS

No seu detalhado plano

Pra conter a pandemia

Trabalhando noite e dia

Vamos seguir seu modelo.

Torcer pra que a medicina

Descubra logo uma vacina

E acabe esse pesadelo.

14

Parece até demagógico

Pedir pra ficar em casa,

Quem precisa trabalhar

Senão o aluguel atrasa.

Um fator sociológico;

Outro epidemiológico;

Que grande contradição!

Classe alta, baixa e média

Vítimas da mesma tragédia

Mas no mesmo barco, não!

15

O barco da classe rica

É um iate de luxo;

Enquanto o da classe pobre

Não tem comida pro bucho.

Falta gel, água, sabão

Máscara, ventilação,

Até sabonete falta!

Já parou pra pensar nisso?

E aí? Vai ficar omisso?

Você que é da classe alta?

16

São perguntas sem respostas...

Esse é nosso País!

A bola está com você

Que patriota se diz.

Deixemos as teorias

E as ideologias...

E aquele um 1º (um por cento)

Da população mais rica,

Será que se prontifica

A ajudar nesse momento?

17

Vamos tecer uma rede

De solidariedade

Com o tecido da esperança

E os punhos da amizade.

Armar do Sul para o Norte

Essa rede larga e forte,

Deixá-la bem estendida...

Pra quando a crise passar

A gente se balançar

Cantando a canção da vida!

18

O desafio está feito

E eu quero ver quem aceita!

Independente se é

De esquerda o de direita.

Não é sigla partidária,

É questão humanitária

O cerne dessa questão!

Como e quem ajudar?

Basta querer enxergar

E logo verá quem são!

CONTATOS

Autor: Tião Simpatia

Instagram do Tião Cordel na Rede Blog Pessoal

©2020 Museu da Fala